Exame do cotonete na gravidez – você sabe o que é?

o-que-e-e-para-que-serve-o-exame-do-cotonete-institutovillamil

O exame do cotonete na gravidez é realizado entre a 35ª e a 37ª semana de gestação e  tem como objetivo identificar a presença da bactéria Streptococcus do grupo B na vagina e no ânus.

Durante o exame é realizada a coleta de amostra de secreção da vagina e do ânus da mulher com um swab (cotonete).

Após a coleta, os swabs são enviados para o laboratório para serem analisados e o resultado é liberado entre 24 e 48 horas.

exame-do-cotonete-institutovillamil

Mas o que é o Streptococcus do grupo B ?

Streptococcus do grupo B, também conhecido por Streptococcus agalactiaeS. agalactiae ou SGB, é uma bactéria que está presente naturalmente no trato gastrointestinal, urinário e na vagina sem que cause qualquer sintoma. É parte da flora do nosso organismo.

No entanto, em alguma situações, essa coloniza o bebê trazendo complicações graves para ele.  Por isto várias sociedades internacionais recomendam que seja realizado o exame de cotonete na gravidez.

sepse-neonatal-institutovillamil-1

Sintomas de infecção pelo Streptococcus do grupo B no bebê

Os principais sintomas no bebê são:

  • Febre;
  • Problemas respiratórios;
  • Instabilidade cardíaca;
  • Alterações renais e gastrointestinais;
  • Sepse, que corresponde à presença da bactéria na corrente sanguínea, o que é bastante grave;
  • Irritabilidade;
  • Pneumonia;
  • Meningite.

De acordo com a idade em que surgem os sinais e sintomas de infecção por Streptococcus do grupo B no bebê, a infecção pode ser classificada como:

  • Infecção de início precoce, em que os sintomas surgem logo nas primeiras horas após o nascimento;
  • Infecção de início tardio, em eu que os sintomas surgem entre o 8º dia após o nascimento e os 3 meses de vida;
  • Infecção de início muito tardio, que é quando os sintomas aparecem após os 3 meses de vida e está mais relacionada com meningite e sepse.

exame-do-cotonete-na-gravidez-institutovillamil

 

E como é feito o tratamento?

O tratamento antes do parto não é indicado pelo fato de ser uma bactéria encontrada normalmente no organismo e, caso seja feito antes do parto, é possível que haja as bactérias voltem a crescer.

Por isto a antibioticoterapia é feita apenas durante o trabalho de parto.

 

E se a mulher não fizer o exame do cotonete na gravidez?

Em muitos sistemas organizacionais de saúde, públicos e privados, o exame de cotonete não é realizado.

Nestes casos, o tratamento com antibiótico durante o trabalho de parto é realizado de acordo com a presença de fatores de risco para a  infecção pelo Streptococcus do grupo B no bebê. Isto é, quando o risco é aumentado a mulher recebe o antibiótico.

Estes são os fatores de risco que indicam a necessidade de uso de antibiótico durante o parto, quando não é realizado o exame de cotonete na gravidez:

Algumas situações aumentam o risco de transmissão da bactéria da mãe para o bebê, sendo os principais:

  • Identificação da bactéria em partos anteriores;
  • Ter tido infecção urinária por Streptococcus agalactiae durante a gestação;
  • Trabalho de parto antes da 37ª semana de gestação;
  • Febre durante o trabalho de parto;
  • Ter tido um bebê anterior com sepse por Streptococcus do grupo B.

 

Leia também:

Streptococcus B na gestante: como é o exame do cotonete?

7 mitos sobre o parto normal

Assista em nosso canal do youtube:

 

 

7 mitos sobre o parto normal

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr
Share on google
Share on pinterest

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

WhatsApp chat