RENATA E THEO: PARTO NORMAL APÓS UMA CESARIANA

00

O dia 26 de maio de 2019 foi marcado para ser um domingo mais do especial na trajetória da nossa família e às 9h fui surpreendida com o rompimento da minha bolsa. E ali, com as águas pelas pernas, começou a fluir uma enxurrada de emoções em mim. O que antes já tinha sido iniciado, foi potencializado diante da realidade mais do que esperada: era chegada a hora de pegar o Théo nos meus braços.

Na noite anterior tive uma experiência fantástica, pois às 6h da manhã passei por um momento intenso de quase 2h conectada ao nosso Deus e ali fluiu tudo que havia em mim.

Foi um parto espiritual, pois certa vez ouvi sobre parir junto com o seu filho e as suas dores. Então, me conectei e me entreguei a esse mover com gratidão e alegria. A surpresa não veio apenas com o rompimento da bolsa, mas principalmente porque não tínhamos noção da data exata em que o Théo viria ao mundo, pois sabíamos que ele teria o seu dia e dessa vez não seria eu quem definiria isso, já que com o nosso primogênito eu o fiz e confesso que me arrependo em alguns aspectos por ter conseguido ficar no controle da situação!

Dessa vez a situação envolvia mais do que a gravidez, pois depois de 9 anos decidi me entregar e isso incluía principalmente deixar que o controle não ficasse em minhas mãos.

Então, procurei a @draquesiavillamil e assim que saímos da primeira consulta, eu e meu marido tivemos a certeza de ter encontrado o lugar o certo. Sentimos paz, fomos acolhidos e recebemos amor, estávamos diante de uma conexão inexplicável. E o mais importante era a imensa vontade de viver esse caminho, de sentir, de me entregar com toda a minha força e com toda a minha coragem e viver o trabalho de parto.

As contrações chegaram às 10h e foram aumentando com muita intensidade, ainda consegui fazer algumas coisas em casa. E confesso que em alguns instantes quis ter novamente o controle do incontrolável!!! Kkkkk e mesmo que eu quisesse, era impossível prender ou segurar algo que existia dentro de mim.

Assim, às 17h a Ana @anammagal chegou em nossa casa e eu já estava aos prantos, chorando e sem saber como estava a evolução da dilatação, foi aí que pensei: se tiver baixa, vou fazer cesárea! E então, recebi mais uma linda surpresa: estava com 6 cm de dilatação. Nessa hora pensei: já foi a metade, agora falta bem pouco e mesmo não aguentando, vou aguentar kkkk!

Passado algum tempo e tendo aumentado a dilatação, fomos para o hospital e assim que chegamos na suíte, fui encaminhada para a banheira. Ali me encontrava num misto de sensações e com mais de 8 cm de dilatação entendi que tinha chegado na “partolândia” kkk.

Quando sai da banheira estava completamente exausta, pedi que aplicassem anestesia, pois não daria conta sozinha de passar pelo aumento das contrações e o parto natural. Fiz vários agachamentos, conforme os momentos de alívio chegavam. E então, foi chegado o momento tão esperado, o momento expulsivo tinha começado. A dor é realmente única e com palavras não poderia explicar, mas já não tinha nenhum controle do meu corpo ou do que estava acontecendo, ali eu entendi que o meu corpo foi preparado para passar por tudo isso, não tinha como resistir ou pegar o controle da situação, simplesmente me entreguei.

E com menos de meia hora o Théo chegou ao mundo! Foi tudo rápido, mas ao mesmo tempo muito forte. A entrega foi real e verdadeira. O fluir que eu senti na noite anterior ao nascimento do Théo e durante toda a manhã do domingo, ficou ainda mais claro durante aqueles minutos, era um fluir de dentro para fora, que eu não tinha nenhum controle. E mesmo diante de tantas dores e de tanta força, eu sei que tudo naquele momento não vinha de mim.

E quando a cabecinha do Théo apareceu, fiquei em pânico, porque não imaginava como seria. E mesmo achando que já não tinha forças, a cada contração mais força era liberada de dentro de mim. E com o apoio do meu marido, Mário, das meninas da equipe, o Théo, O SERVO DE DEUS, veio ao mundo!

Foi um momento simplesmente incrível e depois que a dor passou, já não conseguia recordá-la. Nunca mais me lembrei como é a dor, realmente não sei falar como ela é, porque no final das contas, receber O SERVO DE DEUS em meus braços, foi de longe o momento mais forte de todo esse processo.

E esse é o meu relato, o relato que eu sempre quis e no meio de todo esse processo, a dor foi curtida. Foi uma experiência única e marcante para o resto da minha vida. E para as mulheres que assim como eu, já tiveram o controle em suas mãos, gostaria de incentivá-las a viver essa experiência, pois é única. E para você que sonha em viver esse momento, viva com toda intensidade e curta todos os momentos. Vale muito a pena. Deus nos criou para esse momento, desde o início da gestação até a hora do parto, Ele se fez presente, era Ele o tempo todo. E no final das contas não foi apenas o Théo, O SERVO DE DEUS, que veio ao mundo, mas uma nova Renata nasceu junto com o parto normal .

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr
Share on google
Share on pinterest

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

Logo branca
Diretora Técnica
Dra. Quésia T.M.F. Villamil
CRM-MG 40477
 
Rua do Ouro 1.488 – 2º andar • Serra

CEP 30210 – 590 • BH – MG

(31) 3646-3646
WhatsApp (31) 98222-2829

contato@institutovillamil.com.br

ÚLTIMA NOTÍCIA

FAÇA-NOS UMA VISITA

Copyright © 2020 Instituto Villamil  |  Desenvolvido por Auditore Ideias Estratégicas

WhatsApp chat