Tudo que você precisa saber sobre: Diabetes Gestacional

dmg

1) O que é Diabetes Gestacional?

Diabetes miellitus é uma doença em que há uma grande quantidade de glicose (açúcar) no sangue , podendo acarretar em diversos problemas de saúde. Dessa forma, algumas mulheres desenvolvem diabetes pela primeira vez durante a gestação, que é chamada de Diabetes Gestacional. Assim, mulheres com diabetes gestacional precisam de  cuidados especiais antes e após a gravidez.

2) O que causa Diabetes Gestacional?

O corpo produz um hormônio chamado insulina que deixa os níveis de glicose em seus valores normais.  Durante a gravidez altos níveis de hormônios gestacionais podem interferir na produção de insulina. Geralmente há um  aumento dos níveis desse hormônio a fim de manter a glicemia normal. No entanto, o corpo de algumas gestantes não produz insulina suficiente e assim os níveis de glicose se elevam, causando o quadro de diabetes gestacional.

3) A diabetes permanece após o parto?

Os níveis de glicose geralmente se normalizam após o parto. Entretanto,  gestantes com diabetes gestacional  tem maior risco de ter diabetes  no futuro. Algumas mulheres já possuem uma diabetes leve antes da gestação, porém sem diagnóstico. Sendo assim, para essas mulheres, a diabetes gestacional pode não desaparecer após o parto e permanecer ao longo da vida.

3) Quais mulheres têm maior risco de desenvolver diabetes gestacional?

Vários fatores de risco estão relacionados à diabetes gestacional, como:

  • Sobrepeso ou obesidade;
  • Sedentarismo;
  • Diabetes gestacional em gravidez anterior;
  • Gestação anterior de um bebê muito grande ( 4kg ou mais);
  • Hipertensão arterial;
  • História prévia de doença cardíaca;
  • Ter síndrome do ovário policística;
  • Mulheres negras, asiáticas e hispânicas.

Todavia, algumas mulheres sem fatores de risco podem desenvolver diabetes gestacional.

4) Como a diabetes gestacional pode afetar a gravidez?

Quando uma mulher tem diabetes na gestação, o seu corpo passa para o feto uma maior quantidade de açúcar, o que pode fazer o bebê ganhar muito peso.  Dessa forma, um feto grande ( com 4kg ou mais) pode provocar algumas complicações, como:

  • Dificuldades durante o trabalho de parto;
  • Cesariana;
  • Sangramento intenso após o parto;
  • Grandes lacerações na vagina ou entre a vagina e o anus após o parto.

5) Como a Diabetes Gestacional afeta o bebê?

Bebês de mães que tiveram diabetes gestacional têm maior risco de desenvolver problemas respiratórios e icterícia. Além disso, esses bebês também podem nascer com baixa quantidade de açúcar no sangue, podendo ser necessário cuidados especiais na Unidade de Terapia Intensiva ( UTI neonatal).

Ainda mais, bebês grandes ( com mais de 4 kg) são mais propensos a sofrer traumas de nascimento, como fratura da ombro durante o parto vaginal.  E por último, a diabetes gestacional aumenta o risco de nascimento de uma criança morta.

6) Se eu tiver diabetes gestacional durante a gravidez, o que eu devo fazer?

Se você desenvolver diabetes gestacional, será necessário um maior número de consultas de pré natal, a fim de monitorar melhor a sua saúde e do seu bebê.  Também, será preciso realizar exames para monitorar a quantidade de açúcar no seu sangue e seguir algumas orientações médicas para mantê-la nos os níveis ideais, para reduzir os danos em sua saúde e na do bebê.

Para muitas mulheres, uma dieta saudável e a prática de atividade física, são suficientes para controlar a quantidade de açúcar no sangue. Entretanto, algumas gestantes ainda podem precisar de medicamentos para ajudar a atingir os níveis normais de glicemia.

7) Como vou acompanhar os níveis de açúcar no sangue?

Você usará um medidor de glicose (glicosímetro), dispositivo que mede a glicemia a partir de uma pequena gota de sangue. Esse registro  também podem ser feitos de forma  on-line, armazenando em aplicativos para telefone e enviados por e-mail ao seu obstetra ou outro profissional de saúde. Assim, mantenha um registro dos seus níveis de açúcar no sangue e leve-o consigo a cada consulta pré-natal, pois esses registros ajudará seu médico a oferecer o melhor atendimento durante a gravidez.

 8) Vou precisar fazer algum teste específico para acompanhar a saúde do meu bebê? 

Testes especiais podem ser necessários para verificar o bem-estar do seu bebê. Além disso, esses exames podem ajudar seu obstetra a identificar problemas e tomar medidas para solucioná-los. São estes:·

  • Contagem da movimentação fetal – Este é um registro de quantas vezes você sente o feto se mover. Um feto saudável tende a mover a mesma quantidade todos os dias. Sendo assim, você deve entrar em contato com seu médico se sentir alguma diferença na atividade do seu feto.·
  • Teste sem estresse –  Este teste mede alterações na freqüência cardíaca do feto quando o feto se move. O termo “não stress” significa que nada é feito para colocar estresse no feto. Um cinto com um sensor é colocado ao redor do seu abdômen e uma máquina registra a freqüência cardíaca fetal captada pelo sensor.·
  • Perfil biofísico fetal (PBF)– Esse teste inclui o monitoramento da freqüência cardíaca fetal (da mesma maneira que é feita em um teste sem estresse) e um exame de ultrassom. O PBF verifica a freqüência cardíaca do feto e estima a quantidade de líquido amniótico. A respiração, o movimento e o tônus ​​muscular do feto também são verificados. Uma PBF modificada detecta apenas a freqüência cardíaca fetal e o nível de líquido amniótico. 

9) A diabetes gestacional pode afetar o parto?

A maioria das mulheres com diabetes gestacional controlada pode completar uma gravidez a termo. Entretanto, se houver complicações com sua saúde ou com a do bebê, o trabalho de parto pode ser induzido (iniciado por drogas ou outros meios) antes da data prevista.  Embora a maioria das mulheres com DG possa ter um parto vaginal, a chance de que seja necessária um  parto cesáreo é maior do que mulheres sem diabetes gestacional. Se o seu obstetra achar que seu feto é muito grande para um parto vaginal seguro, você pode discutir os benefícios e riscos de um parto cesáreo programado.

10) Quais preocupações devido a diabetes gestacional eu tenho que ter após o parto?

A diabetes gestacional aumenta muito o risco de desenvolver diabetes em  sua próxima gestação e no futuro, quando você não estiver mais grávida. Um terço das mulheres que tiveram essa condição terão diabetes ou uma forma mais branda de açúcar no sangue logo após o parto. Entre 15% e 70% das mulheres com diabetes gestacional  desenvolvem diabetes mais tarde na vidaAs mulheres que têm pressão alta ou pré-eclâmpsia durante a gravidez também tem maior risco de doença cardíaca e derrame no futuro . Se você teve pressão alta ou pré-eclâmpsia durante uma gravidez passada, informe o seu médico ou outro profissional de saúde para que a saúde do seu coração e vasos sanguíneos possa ser monitorada durante toda a sua vida.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr
Share on google
Share on pinterest

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

WhatsApp chat