O que é doula?

Doula

A palavra “doula” vem do grego e significa ‘a mulher que serve’. Atualmente é um termo usado para se referir à profissionais que tem como função principal oferecer suporte físico e emocional à outras mulheres antes, durante e após o parto. Diante disso, é função da doula encorajar, informar, oferecer conforto e tranquilidade à mulher durante toda a gestação, o parto e o pós-parto.

Antigamente, as mulheres davam à luz rodeadas por outras mulheres. Mães, avós e irmãs que acompanhavam, orientavam e apoiavam a gestante durante todo o período anterior e posterior ao parto. Essas mulheres, por já terem vivido experiências semelhantes, possuíam um olhar empático voltado para a parturiente e para o processo de gestar, parir e cuidar. Porém, com o avanço técnico e científico da medicina e a mudança do ambiente dos partos para os hospitais, as mulheres foram aos poucos perdendo esse acompanhamento tão essencial. Com isso, o cuidado com o bem-estar emocional da mulher durante a gestação, o parto e o puerpério foi ficando cada vez mais de lado, abafado pelo ambiente extremamente técnico dos hospitais.

Entretanto, com o início dos movimentos voltados para a humanização do parto, o papel da mulher que apoia outra mulher voltou às discussões e, em 1973 a antropóloga Danna Rafael, dos Estados Unidos, usou pela primeira vez o termo “doula”. Desde então, o trabalho dessas profissionais vem sendo cada vez mais requisitado, devido à sua enorme importância no acompanhamento desse ciclo de vida tão importante das mulheres.

Benefícios do acompanhamento de uma doula

Vários estudos têm demonstrado que a presença de uma doula tem resultados importantes na redução de intervenções e complicações obstétricas, além do melhor estabelecimento de vínculo entre a mãe e seu bebê.

Segundo o livro Mothering the Mother, o acompanhamento com uma doula reduz em: 25% a duração do trabalho de parto;  60% nos pedidos de analgesia peridural; 40% o uso de ocitocina durante o trabalho de parto; 40% o uso de fórceps e 50% os índices de cesárea.

Foto: Daniela Djean

Outros estudos associam uma experiência positiva de parto à presença da doula. Da mesma forma, quando essa profissional acompanha a mulher no pós-parto, há uma diminuição nos estados de ansiedade e baixa-autoestima no pós-parto; uma redução nas taxas de depressão pós-parto; uma melhor interação entre mãe e bebê, e uma taxa maior de sucesso na amamentação.

Como funciona o trabalho da doula na prática?

Durante a gestação

Nesse período, a doula tem como principal função apoiar e informar a mulher e seu/sua parceiro(a), trazendo dados atualizados e baseados em evidências científicas sobre gestação, parto e pós-parto. Através de encontros, ela oferece à gestante um espaço para sanar dúvidas e conversar sobre expectativas. Além do mais, a doula fornece informações práticas que ajudam na preparação e organização da casa para o período após o nascimento e a chegada em casa com o bebê. Outra função é pôr a gestante a par dos protocolos hospitalares, na maioria das vezes desconhecidos das mulheres.

Durante o trabalho de parto e o parto

Nesse momento, além do apoio e conforto emocional, a doula irá propor uma série de técnicas não farmacológicas para o alívio da dor, posições para a melhor descida do bebê e massagens para o relaxamento. Ao mesmo tempo, ela ainda funciona como elo entre a equipe médica e os pais, traduzindo os acontecimentos de forma que eles possam entender. A doula também pode ajudar o pai ou acompanhante, dando dicas de como ser ativo durante o trabalho de parto e ajudar a parturiente.

Foto: Paula Beltrão

No puerpério

No pós-parto, uma das principais funções da doula é a escuta e o acolhimento da mulher, em meio à todas as novidades que a chegada de um bebê traz; assim como também pode ajudar com a amamentação e fornecer dicas de cuidado do bebê.

O que a doula não faz?

É importante deixar claro que as doulas são profissionais que não tem treinamento técnico para o suporte ao parto. Dessa forma, a doula não substitui nenhum dos profissionais envolvidos na assistência ao parto. Devido à isso, não é papel da doula realizar procedimentos médicos, como ausculta dos batimentos fetais, administração de medicamentos ou toques vaginais. Outra informação importante é a que a doula não substitui o acompanhante de escolha da mulher, e sim orienta para que ele participe da melhor forma do parto.

Foto: Helena Miller

Por todos esses motivos, acreditamos que a presença da doula só tem a somar na sua gestação, parto e pós-parto! O próprio Ministério da Saúde do Brasil e Organização Mundial de Saúde recomendam esse acompanhamento em vários de seus documentos que já foram divulgados. Todas as mulheres merecem receber esse apoio contínuo e especializado que tanto contribui para que tenham lembranças positivas desse momento tão importante de sua vida.

Leia mais:

7 dicas de como se preparar para um parto humanizado.

Como é feito o parto humanizado.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr
Share on google
Share on pinterest

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.