Plano de parto: fundamental para um parto positivo!

plano-de-parto-instituto-villamil-1

O plano de parto é uma ferramenta que está diretamente relacionada a uma melhor assistência ao parto e uma sensação de satisfação da parturiente em relação ao nascimento. Saiba como ele pode te ajudar!

O que é um plano de parto?

Plano de parto é um documento realizado pela gestante e seu/sua parceiro(a), ainda durante a gravidez, em que a ela registra seus desejos em relação ao parto. Dessa forma, esse documento engloba as preferências e o que a paciente espera de sua assistência médica e hospitalar. Além disso, traz informações sobre como quer ser tratada durante o trabalho de parto e parto e quais são os cuidados que ela gostaria que seu filho recém-nascido receba.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde do Brasil recomendam a realização do plano de parto pelas gestantes. O objetivo é melhorar em todo o mundo o nível de assistência em saúde à mulher e aos recém-nascidos.

Ao fazer um plano de parto, a mulher e seu parceiro(a) personalizam um momento extremamente especial em sua vida, mas que muitas vezes pode ser guiado por intervenções rotineiras de um hospital. Assim, os pais deixam claro aos profissionais de saúde suas preferências e os informam que não gostariam de receber intervenções de rotina e sim as que forem necessárias à boa e respeitosa condução do nascimento.

 

plano-de-parto-instituto-villamil-2O plano de parto é uma ferramenta importante para um parto positivo.

O que saber antes de fazer um plano de parto?

Para realizar um plano de parto, antes de tudo é necessário que a gestante conheça bem a fisiologia do parto, suas fases e o que pode ocorrer em cada uma delas. Além de saber qual o papel dos profissionais de saúde durante um parto. Outro tema importante de estudo é sobre o que acontece com o bebê após o nascimento; e quais intervenções são realmente necessárias e quais se tornaram uma mera burocracia das instituições de saúde.

Por meio desse estudo, será possível saber mais sobre posições da mulher para o trabalho de parto e parto e sobre procedimentos tipicamente realizados nos hospitais e maternidades, como lavagem intestinal, tricotomia, episiotomia, entre outros.

Segundo as Diretrizes Nacionais de Assistência ao Parto Normal, do Ministério da Saúde, é papel dos profissionais de saúde que assistem à gestante perguntar se ela deseja ter um plano de parto escrito. Ademais, o médico também deve discutir com a paciente como se dá a assistência da equipe ao parto. Além disso, deve conversar sobre os protocolos do local escolhido para o nascimento, deixando claro quais são as possibilidades dentro desse cenário. Tudo isso é importante, pois pode influenciar na escolha do hospital ou maternidade para o nascimento.

 plano-de-parto-instituto-villamil-3A confecção do plano de parto se torna um momento para refletir e aprender sobre parto.

 

Ter um plano de parto garante que todos os meus desejos serão atendidos?

É importante ressaltar que o plano de parto é um guia, mas que em determinadas situações, cabe à equipe decidir se será possível atender às preferências da parturiente. Principalmente nas situações que envolvem emergências durante o parto, podem ser necessários procedimentos que não estavam inicialmente previstos. Nesse caso, a mulher deve estar ciente de que as intervenções são para garantir o bem-estar materno e do bebê.

Plano de parto e parto humanizado, o que tem a ver?

Por todos esses motivos, a confecção do plano de parto está diretamente ligado à prática de uma assistência humanizada ao nascimento. Em ambas as situações se parte do princípio de que a informação e a autonomia da mulher são primordiais. O objetivo da humanização e do plano de parto é trazer as preferências da gestante baseadas em informações e evidências científicas atualizadas, prezando pelo respeito em todos os momentos.

Como fazer um plano de parto?

Existem vários modelos disponíveis, porém o mais interessante é que a partir deles a gestante faça um próprio. Assim, a confecção do plano de parto se torna um momento para refletir sobre seus desejos e expectativas. São várias as possibilidades para cada etapa:

– Trabalho de parto

Nessa fase, é importante deixar claro no plano de parto em qual momento a mulher gostaria de ser levada à maternidade (caso o parto seja hospitalar). Ela também informa quais serão suas companhias nessa fase, o que inclui qualquer pessoa de sua escolha, como doula e/ou parceiro(a) e/ou pais (lembrando que a presença de um acompanhante é direito da mulher segundo a Lei 11.108, de 2005). A presença de fotógrafos e filmakers é outro ponto a ser colocado no plano de parto.

A gestante também explica como ela quer que esteja o ambiente onde vai estar (luz acesa, luz baixa ou escuro) e o que gostaria de vestir. Outra questão é informar sobre a possibilidade de ter liberdade para se movimentar. Também deve deixar claro se ela deseja comer ou ingerir líquidos. E se deseja receber métodos não farmacológicos para o alívio da dor, como imersão em água quente, técnicas com o rebozo, massagens, música, meditação e hypnobirthing.

 

plano-de-parto-instituto-villamil-4Deixar registrado quais são as suas preferências para o trabalho de parto é muito importante. Foto: Paula Beltrão.

 

Outra questão importante é ressaltar se a gestante deseja ou não receber intervenções como o uso de ocitocina sintética, a rotura artificial da bolsa amniótica e a aplicação de analgesia farmacológica.

– Parto

Um ponto essencial nessa fase é deixar claro em qual posição a paciente quer dar à luz; ou se ela prefere ter liberdade para decidir na hora o que for melhor. A episiotomia também deve ser discutida nessa fase do trabalho de parto, assim como o uso do fórceps e manobras para o melhor posicionamento do bebê.

A analgesia de parto também assume importância nesse momento e é essencial que a paciente deixe claro que gostaria de ser informada sobre todos os procedimentos que serão realizados.

Caso seja necessária a realização de uma cesariana, a gestante também pode pedir que seja abaixado o campo para ela ver seu filho nascer; que seus braços não estejam presos, para ela conseguir segurar seu bebê que acabou de chegar. Outro pedido envolve o ambiente, para que ele seja calmo, aquecido e que para esteja tocando uma música específica escolhida por ela.

plano-de-parto-instituto-villamil-5São várias as possibilidades de posição durante o parto e é importante deixar registrado no plano de parto. Foto: Helena Miller.

 

– Cuidados com o recém-nascido

Após o nascimento do bebê, as demandas voltam-se para os cuidados imediatos com o recém-nascido. A mãe deve escrever se deseja ter o contato pele a pele imediato com o bebê; se quer amamentar seu filho na primeira hora de vida. Além disso, é importante deixar claro se os pais desejam esperar o cordão umbilical parar de pulsar para cortá-lo. E também se optaram por esperar um tempo para dar o banho no bebê, permitindo que sua pele fique em contato com  o vérnix.

 

plano-de-parto-instituto-villamil-6Os primeiros cuidados com o bebê também pode ser registrados no plano de parto. Foto: Daniela Djean.

 

Dessa forma, por todos os motivos que citamos, o plano de parto se torna mais um importante aliado em uma experiência positiva de parto. Converse com sua equipe e faça o seu!

Assista à live do Instituto Villamil sobre a importância do plano de parto:

Leia mais:

Relato de Parto da Glenda e do Jean: VBAC aos 45 anos

Como é feito o parto humanizado?

Cesárea: e se essa for a minha escolha?

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on tumblr
Share on google
Share on pinterest

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado.

WhatsApp chat